domingo, 15 de março de 2015

SANQ - Sistema de Antecipação de Necessidades de Qualificações




No post Sistema de Antecipação de Necessidades de Qualificações - a construção apresentámos o projeto que estávamos a desenvolver de concepção e implementação de um Sistema de Antecipação de Necessidades de Qualificações. O objetivo era construir um sistema que permitisse suportar o desenvolvimento do processo de planeamento da rede de ofertas e fornecer informação de apoio a outros processos de planeamento e gestão de estratégias de desenvolvimento de competências. É com reconhecida satisfação que neste post apresentamos o lançamento do SANQ - Sistema de Antecipação de Necessidades de Qualificações que ocorreu no dia 13 de março p.p. e que se encontra disponível em www.sanq.anqep.gov.pt.

Enquadrado no lançamento do Portal das Qualificações, que ocorreu numa cerimónia realizada na abertura da Futurália, este sistema é o novo instrumento estratégico do Sistema Nacional de Qualificações (SNQ) que reforça e complementa os outros instrumentos e estruturas, nomeadamente o Catálogo Nacional de Qualificações (CNQ) e os Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP).

Trata-se de um instrumento que é gerido em coordenação com os Parceiros Sociais, o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e que conta com o apoio técnico da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Pretende-se que seja um sistema dinâmico, que atualize a informação de forma contínua e que permita o apoio à tomada de decisão de vários stakeholders do SNQ:
  • dos adultos ou jovens que procuram uma Qualificação e que podem recorrer ao SANQ para saber da relevância das qualificações em que estão interessados, em função da região onde pretendem desenvolver a atividade profissional;
  • dos serviços e profissionais de orientação, informação e encaminhamento que dispõem de mais um instrumento para ajudar os jovens ou adultos nas suas decisões sobre os percursos qualificantes que melhor poderão corresponder às suas expectativas;
  • dos operadores de educação e formação que podem recorrer ao SANQ para planearem as suas ofertas futuras bem como o reforço ou alteração de recursos humanos e materiais para dar resposta às qualificações mais relevantes;
  • das entidades que têm por atribuição definir critérios de definição da rede de ofertas de qualificação (como por exemplo a ANQEP, a DGEstE ou o IEFP), bem como as entidades que têm por atribuição financiar as várias modalidades de acesso à qualificação (como por exemplo os Programas Temáticos ou Regionais de gestão dos fundos comunitários).
O SANQ é constituído por um Módulo de Diagnóstico que combina a evolução retrospectiva do emprego por qualificação com a análise prospetiva de necessidades de qualificações por parte das empresas, tendo em conta a dimensão regional dessa necessidade. Este módulo valoriza a complementaridade entre abordagens quantitativas e qualitativas e a produção de resultados que permitem a aplicação do Módulo de Planeamento. 

O Módulo de Planeamento define modelos de organização da informação e respetivos critérios de análise que suportam o processo de definição de prioridades e orientações para a constituição da rede de ofertas. Inclui ainda a organização de um dossier com informação a disponibilizar aos atores do Sistema de Educação e Formação tendo em vista a dimensão estratégica da definição dos planos de formação dos vários operadores do sistema e da atualização do Catálogo Nacional de Qualificações.

Por último, o SANQ tem um Módulo de Aprofundamento Regional onde toda a análise é aplicada ao nível das Comunidades Intermunicipais (CIM), sendo desenvolvido em articulação com estas comunidades proporcionando assim a flexibilidade regional que é fundamental existir na resposta do Sistema de Educação e Formação.

O Diagnóstico proporcionado pelo SANQ contempla três eixos estruturantes: 


Eixo 1 – Análise das dinâmicas recentes do mercado de trabalho, nomeadamente, a análise do volume e dinâmicas do emprego: 


a) por profissão; 

b) por escalão etário; 

c) por nível de habilitação. 


Eixo 2 – Análise prospetiva da evolução da procura de qualificações, apoiada: 


a) na exploração de dados sobre as tendências do emprego para Portugal extraídas do modelo de previsão elaborado pelo Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional (CEDEFOP); 

b) na aplicação de um inquérito às empresas, orientado para explorar as tendências do emprego e das necessidades de qualificações. 


Eixo 3 – Desenvolve uma análise qualitativa das dinâmicas da evolução na procura de qualificações, visando: 


a) um estudo mais fino das dinâmicas e necessidades de qualificações a nível regional e setorial; 

b) uma análise de apostas estratégicas para a competitividade. 


Resultados actuais

Neste momento já é possível encontrar no sistema, na secção Resultados, resultados obtidos pela aplicação do Módulo de Diagnóstico para cada uma das NUT II:

Classificação da evolução recente do emprego:

É apresentada numa escala de A+ (muito positiva) a E- (muito negativa) e a mesma resulta da aplicação do eixo 1 tendo sido determinada pelos seguintes indicadores:

a) o peso do emprego na qualificação profissional em relação ao emprego total no ano anterior; 

b) a variação do volume total do emprego na qualificação profissional nos quatro anos anteriores; 

c) o peso do emprego jovem na qualificação profissional em relação ao emprego total no ano anterior (jovens com idade entre 20 e 24 anos com o ensino secundário ou menos); 

d) rácio entre o peso do emprego na qualificação profissional na NUT II e o peso do emprego na qualificação profissional em Portugal Continental, relativamente ao ano anterior.

Classificação da perspetiva de necessidade futura da qualificação profissional:

É apresentada numa escala de A+ (muito positiva) a E- (muito negativa) e a mesma resulta da aplicação do eixo 2 tendo sido determinada pelos seguintes indicadores:

a) Perspetiva de vagas de emprego na qualificação profissional obtida por inquirição às empresas;

b) Perspetiva de vagas de emprego na qualificação profissional na NUT II (Região) obtida por inquirição às empresas;

c) Estudo prospetivo do Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional (CEDEFOP) para o horizonte temporal de 2025. 


Da combinação destas duas classificações obtemos a relevância das qualificações avaliada numa escala de 1 (pouco relevante) a 10 (muito relevante). 

Pelo cruzamento da relevância das qualificações com a evolução recente da oferta de educação e formação, nas modalidades de cursos profissionais e cursos de aprendizagem, obtemos a tendência a curto prazo da necessidade de formação de recursos humanos na qualificação em causa e na região respetiva (tendência de crescimento, crescimento moderado, estagnação, decrescimento moderado ou decrescimento).

Estes resultados irão permitir à ANQEP definir desde já os critérios de ordenamento da rede de cursos profissionais para o ano letivo de 2015/2016, esperando nós que seja útil para todos os outros atores do SNQ, nos respetivos processos de tomada de decisão.

















Sem comentários:

Enviar um comentário